A imagem pode conter: 1 pessoa, no palco, tocando um instrumento musical e em péNão percam nosso programa Conexão África na Rocinha de amanha!

Faremos um especial Johnny Clegg, homenageando o Zulu branco, uma das figuras contra a luta contra o apartheid na África do Sul.

 

 

Não percam, amanha de 16h00 as 17h00, ao vivo na Radio Briza, 101.7 FM!

A imagem pode conter: 4 pessoas, incluindo Stéphanie Malherbe, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas dançando e sapatos

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e multidão

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão e atividades ao ar livre

A imagem pode conter: 5 pessoas, incluindo Stéphanie Malherbe, pessoas sorrindo, pessoas em pé

A imagem pode conter: 7 pessoas, incluindo Johnny Alves e Stéphanie Malherbe, pessoas sorrindo, pessoas em péA primeira feira internacional na Biblioteca Parque da Rocinha foi um grande sucesso, com recorde de publico e muitos países representados: Republica Democrática do Congo, com quem comemoramos juntos sua Independência, que ocorreu no dia 30 de junho de 1960. Mas também Gambia, Senegal, Haíti, Columbia, Peru, Argentina, Venezuela e China!

Isso não seria possessível sem a SABALY, que, alem do desfile, participou da organização da feira,  a Mawon que foi super parceira e a UFRJ que também participou.

A feira comportava barracas de comidas tipicas, roupas, joias e varias peças de artesanato e recebeu varias performances culturais: Tapetes contadores de Historias, Sussurra Poética, Peça de Teatro Uma Odisseia, pra entender melhor as dificuldades vividas pelos migrantes na sua chegada no Brasil, Desfile de moda da marca Sabaly, Performance de dança com fogo do artista congolês Foguinho Arobaze Paulo e no final, apresentação do bloco de refugiados Terremoto Clandestino. Foi bom demais!!!!

Nenhuma descrição de foto disponível.

A comunidade da Rocinha tem uma população composta por pessoas de todo o mundo, uma vez que têm em sua formação, descendentes de escravos, índios e de todas as regiões do Brasil. Através do tempo transformou se em um ponto turístico que, diariamente, atrai turistas do mundo todo e, muitos tornam se residentes em função de trabalho, estudo, relacionamento ou ainda, condições financeiras.
Nesse mês de junho, mês dos refugiados, a Biblioteca Parque da Rocinha homenageia, pela primeira vez, o Dia dos Retirantes, Imigrantes e Refugiados, por entender a importância e contribuições destas nações em novo modo de vida.
Buscamos, através deste evento, aproximar a sociedade de uma realidade ainda muito distante e com isso, desenvolver nosso sentido de consciência humanitária e fraterna aos irmãos do mundo.
Nosso evento contará com uma feita internacional com gastronomia, teatro, poesia, Tapetes Contadores de Historias e sussurro poético, desfile de moda, e a imperdível participação do bloco multinacional de refugiados Terremoto Clandestino.
Venham participar feira internacional RIR! 

 

Bloco Terremoto ClandestinoMawon Sabaly @Bloco Cultural Ai, Que Vergonha

Novidade no Conexão África: Conexão esta na Rocinha!

Publicado: 10 de junho de 2019 por stephanie100africa em # África

Conexao Africa

Grande novidade no Conexão África! Estamos de volta com o programa de radio, agora na radio Briza da Rocinha, 101.7FM ! Todas as segunda-Feiras de 16 as 17h!Espero vocês!!!!!!!!!

Angélique Kidjo lança novo album: Celia

Publicado: 10 de junho de 2019 por stephanie100africa em # África, Benim
Tags:, ,

1 CUCALA3:19  2 LA VIDA ES UN CARNAVAL 4:33  3 SAHARA 4:37  4 BAILAYEMAYA 2:54  5 TOROMATA 4:30  6 ELEGUA 3:06  7 QUIMBARA 4:34  8 BEMBACOLORA 3:44  9 OYADIOSA 3:27  10 YEMAYA 1:37

A diva do Benim esta de volta com tributo a Célia Cruz, a rainha da musica cubana!

Angélique Kidjo está de volta com “Celia”, um álbum que presta tributo a Celia Cruz, conhecida como a “Rainha da Salsa” e uma das artistas latinas mais populares do século XX. Em “Celia”, Angélique explora as raízes africanas da música de Cruz e aborda de novas formas o repertório incrível da artista cubana, com sonoridades e ritmos de Cuba, África, Médio Oriente e América. O álbum inclui participações de Tony Allen, Meshell Ndegeocello e de Shabaka Hutchins com a banda Sons of Kemet.

25 de maio

Sem a mãe África, berço da Humanidade, existiria o Brasil?

Sim, mas não seria este Brasil e, no mês de maio, das mães, da África e da abolição da escravidão,  a Biblioteca Parque da Rocinha resolveu juntar em  um grande movimento cultural África mãe, o povo da Rocinha e você, através de  projeções de filmes infantis, palestras, rodas de conversa, exposições, sarau e, no Dia 25 de maio, dia mundial da África, um grande encontro festivo/ multicultural, juntando artistas afro-brasileiros da Rocinha e convidados mostrando suas artes desenvolvidas a partir da  África: samba, hip-hop, jongo, makulêlê, maracatu, slam, desfile de moda afro, Performance do movimento congolês da SAPE (Sociedade dos ambianceurs e pessoas elegantes), capoeira, dramatização da lenda mandinga de Soundjata Keïta, oficina de turbantes, tranças…. e muito mais!!!!!!! Terminando com o tradicional Baile Charme.

Amigos do Conexão África, o pessoal da Biblioteca Parque da Rocinha te espera nessa grande festa da África! IMPERDIVEL!

Aproveitando pra dar uma noticia muito boa: Conexão África, o programa, esta de volta a partir desta segunda-feira, dia 27 de maio, na radio Briza da Rocinha. Assistem!!!!!!!

E ja deixando vocês na onda do Dia Mundial da África na Rocinha, vamos ouvir o maior SAPEUR de todos os tempos, Papa Wemba….

Image result for mayra andrade manga

5 anos depois de Lovely Difficult, Mayra Andrade esta de volta com seu quinto álbum, Manga e com nova sonoridade. Misturando afrobeat, musicas urbanas e musicas tradicionais do Cabo-Verde, Mayra nunca foi tão atual. Cantando em crioulo cabo-verdiano e em português, o álbum foi gravado entre Paris e Abidjan. Para essa renovação, Mayra contou com a colaboração de dois geniais beatmakers do palco musical urbano de Abidjan e Dakar, 2B e Akatché

Instalada em Lisboa desde 2016, a cabo-verdiana nasceu em Cuba por conta do seu pai militar, e morou em vários países, Senegal, Angola, Alemanha, em função das missões do seu padrasto que era embaixador. Esse cosmopolitismo impregna profundamente seu trabalho desde smpre, mas desta vez ela fez mais um passo, vestindo suas melodias cabo-verdianas com sonoridades afro-eletro e afrobeats.