Femi kuti

Publicado: 28 de novembro de 2011 por stephanie100africa em Nigéria

Geralmente considerado como o herdeiro do grande Fela Kuti, Femi Kuti é o primeiro filho do pai do Afrobeat com a sua primeira esposa Remi. Nascido em Londres em 1962, ele passou sua infância em Lagos, capital do Nigeria. A partir de 15 anos, passa a viver na mítica “Republica” do seu pai, a Republica Kalakuta. A morte da sua avó paterna depois de ter sido jogada pela janela durante a invasão em 1977 da republica pelo exercito nigeriano, e a exposição, por Fela e uma delegação composta por suas rainhas e por rapazes do grupo, do cadáver na frente do palácio presidencial, para denunciar o crime, foram eventos que marcaram muito o jovem Femi. Desse gesto que já entrou no repertorio dos atos heroicos do Fela, nasceu em Femi a certeza que “é melhor morrer do que viver aterrorizado”.
Ele recebe sua educação musical do próprio Fela e com apenas 19 anos já é saxofone soprano do grupo. Durante uma turnê nos Estados-Unidos em 1985, ele até chega a tocar no lugar do pai que a policia nigeriana tinha prendido na hora de embarcar… Femi vai continuar na frente do grupo até 86, quando seu pai é libertado. E hora para Femi de formar seu próprio grupo, com um amigo e duas irmãs, Sola e Yeni, o Positive Force.
O grupo vai se produzir em vários países e adquirir pouco a pouco uma certa fama.
Filho do Fela Kuti, sempre comparado a seu genitor, Femi se diferencia dele especialmente no modo de viver e no seu estilo musical, colorando o afrobeat paterna de influencias jazz e soul.
Em 1996, ele recebe 6 premios nos Fame Music Awards, na Nigeria.
1997 é um ano dramático, morre Fela Kuti de Aids, e Femi vai ter que assumir a herança, mas com seu próprio estilo, mais calma, menos excêntrico que o pai, apesar de não julgar a raiva do Fela, como ele diz: “Se eu tivesse apanhado igual a ele, eu também ia estar zangado” E também o ano que morre sua irmã e parceira Sola.
Como o seu pai, Femi é um artista militante, consciente e ativo. Em 1998, ele cria em Lagos o MASS, Movement Against Second Slavery, para denunciar o que ele chama de segundo escravidão criada pelas multinacionais que pegam todas as riquezas nacionais. Femi e a irmã Yeni continuam também a memoria do pai com a abertura em 2000 do New Africa Shrine, um novo Shrine, a boate mítica do Fela.
Assiste aqui um clip do show homenagem do Femi a Fela Kuti, diretamente do Shrine:

Talentoso, militante, vencedor em 1999 de dois prêmios durante a ceremonia Kora All Africa Music, Femi Kuti faz hoje parte dos artistas africanos que tocam pelos palcos do mundo. Ele participou em 2010 da abertura da copa do mundo e lançou esse mesmo ano seu ultimo disco, Africa for Africa. Quando ele não esta tocando em outra parte do mundo, toca tudo dia no Shrine, respeitando o espirito do grande Fela.
E sera que a historia vai se reescrever? Femi é tambem pai de um menino Madé que ja toca e canta com ele…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s