Franco, o grande mito da musica congolesa

Publicado: 13 de setembro de 2012 por stephanie100africa em Congo kinshasa
Tags:, , , , , ,


Falecido no dia 12 de outubro de 1989, Franco continua como o grande mestre da musica congolesa, o pai da musica africana moderna.

Nascido em 1939 em Sona-Bata, pequena cidade do baixo-Congo, na ainda colônia belga que se tornará a Republica Democrática do Congo, de um pai tetela e de uma mãe Kongo, François Luambo Makiadi de Luanzo perde seu pai quando ele tem apenas 10 anos.
Ele começa sua carreira musical tocando harmônica, para ajudar sua mãe a vender salgadinhos na rua, antes de conhecer Dewayon, que será seu mestre de violão.
Com 15 anos, Franco já tinha gravado algumas musicas com o grupo de Dewayon.
E, com apenas 18 anos, em junho de 1956, Luambo monta com seus amigos o orquestra OK Jazz, do nome do dono da boate OK Bar aonde tocava, Oscar Kashama, e jazz como referencia a musica norte americana. Outra versão diz que OK se referencia a Orquestra Kinois…

Muitos artistas de talento passaram pelo OK Jazz, e Franco se tornou tão famoso que animou numerosas noites presidenciais no Zaire de Mobutu. Em 1980, passa a ser chamado Grande Mestre ou também o Magico do violão.
Com sua rumba enérgica, Luamba cantava o amor, a sátira, criticando a sociedade com impertinência, indo até o limite da vulgaridade. Fenômeno musical no ex-Zaire (atual Republica Democrática do Congo) e no continente africano, com 350 sucessos gravados, Luamba era também um homem de negocio com produtora, editora, etc…
Em 1982, Franco se instala na Europa com todos seus músicos e inicia em 1983 uma turnê inesquecível nos Estados-Unidos, seguida por uma turnê na Europa. Nesses shows, Franco e o TP OK demostram uma energia incrível e muito talento no palco, o que confirma a fama internacional do Franco. Em 1984, ao pedido do Mobutu, Franco volta para Kinshasa.
Em 1985, Franco lança seu maior sucesso, Mario, a historia de um gigolô que mora na casa de uma mulher mais velha. O impacto da musica é tão grande que até hoje, no Congo, a palavra para designar um gigolô é Mario:

Em 1987, os sintomas da doença que levará ele começam. Em Kinshasa, as especulações sobre o misterioso mal se multiplicam e muita gente mata Franco antes de ele morrer realmente. Enfraquecido, Franco encontra a energia de gravar um ultimo disco, com Sam Mangwana, que já tinha colaborado com o TP OK Jazz, álbum de adeus aonde ele responde também as pessoas que caluniaram ele. Foi seu ultimo disco:

comentários
  1. mamapress disse:

    Maravilha de lembrança!

  2. mamapress disse:

    Reblogged this on Mamapress and commented:
    A Radio Mamaterra descobriu inda que tarde a Conexão África. Vamos curtir estas belas seleções musicasis. Marcos Romão

  3. hawaiianbless disse:

    Reblogged this on Hawaiianbless's space and commented:
    Franco , Grande Mestre da Musica Congolesa .

  4. Alberto Bunga disse:

    Fui e continuo a ser um grande admirador daquele que foi e continua a ser o icone da musica congolesa em particular e da Africa em geral.A minha preocupação era o porque de não eternizar o homem transformando o Ok Jaz em uma academia da musica.Mas alegro-me com a noticia de transformar a casa em que vivia em Museu e um lugar turistico.Bem hajam o irmão e a filha pela ideia.O meu projecto é de escrever e publicar uma obra sobre a vida e obra de Franco,em gesto de homenagem.

  5. Lucrécio Africano de Carvalho disse:

    Sou apreciador nato das musicas de Franco Luambo Makiadi que para mim é e sempre será o ícone da musica congolesa e Africana em geral. Com seu jeito próprio e humorístico, conquistou corações e fez dançar seus fãs e ouvintes por este mundo a fora. Tão cedo partiste deixando tristezas nos corações dos seus fãs. Como diz o velho ditado:
    Morreu o homem, mas suas obras estão registadas. Que sua alma descanse em doce repouso.

  6. manuel da gama disse:

    indubitavelmente franco escreveu seu nome com letras de ouro nos anais da musica africa, são mais de 25 anos que oiço todos os dia as musicas de franco, com particular a marió, manu, tokoma ba camarade pamba, azda,, tenho elas constituem o meu equilíbrio emocional.

  7. manuel da gama disse:

    indubitavelmente franco escreveu seu nome com letras de ouro nos anais da música africana, sua músicas constituem o meu equilíbrio emocional. sua obra deve ser eternizada por mérito próprio.

  8. indubitavelmente franco escreveu seu nome com letras de ouro nos anais da música africana, sua músicas constituem o meu equilíbrio emocional. sua obra deve ser eternizada por mérito próprio.

  9. lucio massirela disse:

    oi irmaos sou mocambicano descobri as musicas do FRANCO LUAMBO quando estive no Burundi em 2003 e nunca mais deixei de ouvir sempre procure que precebe Lingala para me esplicar o que a musica relata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s