Arquivo da categoria ‘Benim’

John Arcadius, amistura do jazz e do vodu

Publicado: 7 de janeiro de 2016 por Stephanie Malherbe em Benim
Tags:, ,

john arcadius.png

Encantador, o beninês John Arcadius é autor-compositor, cantor, musico e pioneiro de uma musica contemporânea sutil e poderosa, aliando tonalidades africanas ao jazz. Seu projeto atual, Vaudou-Mahi, valoriza a beleza singular dessa herança ancestral e a leva para os ouvidos do grande publico.

“Grand Prix” do Salão Internacional da Musica Africana 2015, ele já assinou 3 álbuns e participou de vários eventos internacionais como as Francofolies de Spa, as Francofolies de la Rochelle,  Francophonie em Bucareste, Couleurs Café em Bruxelas, a festa da musica em Paris, Voix de Fêtes em  Genebra, Jazz à Ouaga (Ouagadougou, Burkina Faso), Jazz Kiff em Kinshasa, Tunis Couleurs Jazz (Tunis, Tunisia), etc…

Esse artista feiticeiro nos leva num universo hipnotizante único.

 

Steph e Polyrythmo

Um programa dedicado ao mítico Tout Puissant Orchestre de Cotonou e ao seu vodou-funk:

E re-encontram aqui tambem a entrevista que o Polyrythmo nos concedeu o ano passado:

Programa do dia 29 de abril: bate-papo com o príncipe Abou

Publicado: 30 de abril de 2015 por Stephanie Malherbe em Benim
Tags:

Steph e prince Abou Conexão Africa

No programa gravado na quarta dia 29 de abril na radio Kaxinawa, 100.1 FM, recebemos o príncipe Abou, que vem do Benim para estudar no Brasil. Abou nos falou um pouco sobre seu país,  seus costumes, o culto de Ifa e o respeito dos anciãos…  E nos fez descobrir algumas musicas que ele gosta…. Sem falar de uma linda surpresa no final:

Steph e Polyrythmo

O mítico Todo Poderoso Orchestre Polyrythmo de Cotonou realizou um show único em São Paulo no final de outubro. Conexão África aproveitou a ocasião: pulamos num avião para assistir o show e realizar uma entrevista exclusiva com Vincent D. Ahehehinnnou (cantor e Porta-voz), Bentho Gustave Eustache alias Titiou (arranjador, compositor e chefe de orquestre) e Augustin Pierre Loko (Sax/Percussions), os 3 membros originais ainda vivos do grande Orquestra do Benim. Trés seres de luz, um momento muito especial para mim…]Falaram da historia do orquestra, da sua relação com o Brasil, dos seus projetos… Lindo encontro!!
Um agradecimento especial ao artista brasileiro e amigo do Conexão África Ricardo Vilas que filmou essa entrevista.

Steph e Polyrythmo

Em breve no Conexão Africa: entrevista exclusiva com Vincent Ahehehinnou, Bentho Gustave Eustache e Augustin Pierre Loko, os três membros fundadores do Tout-Puissant Polyrythmo ainda presentes!!!!!

Polyrythmo de Cotonou: a lenda do Benim em show único no Brasil!


O Todo poderoso Orchestre Polyrythmo de Cotonou estará em São Paulo no domingo 28 de setembro para um show excepcional para o mês da cultura independente. O show, grátis, acontecerá as 16h00 no Vale do Anhangabaú e será seguido por um intervalo animado pela Festa Fela com os DJs Haru, MZK, RamiroZ e Vini Marson e , as 18h00, o show do gigante da Nigeria, Seun Kuti, que esta fazendo uma turnêe sul-americana e se junta ao orquestra Egypt 80, o mítico orquestra do seu pai Fela Kuti. Imperdivel!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!111

Grupo mítico da cena musical beninense e africana dos anos 60 e 70, o Tout –Puissant Orchestre Poly-Rythmo de Cotonou tinha caído no silencio, até seu encontro com Elodie Maillot, jornalista francesa levou eles pelo mundo e produziu seu novo álbum, Cotonou Club, lançado em 2011.
Nos anos 70, o grupo inflamava o Benim com seu som tudo poderoso. Funk, soul, afrobeat, salsa, o grupo toca todos os estilos, por isso se chama poly-rythmo. Com seus 11 membros, o grupo, nascido na efervescência da independência, conquistou a África toda com seus “poly-rythmos” e tocou também com Fela ou Myriam Makeba, os monstros sagrados da musica africana. Portanto, anos depois, o grupo mais antigo e mais prolífico do continente africano, com seus 42 anos de existência e seus 500 discos gravados, parecia ter sumido, caído no esquecimento…
Em 2007, Elodie encontra os sobreviventes do grupo Poly-Rythmo para entrevistar eles. Uma vez o microfone desligado, o Tudo Poderoso faz um pedido a ela: “Você será nossa empresária e nos levara em turnê fora da África”. O grupo, apesar do seu grande sucesso antigo, nunca tinha saído do continente…
Elodie cumpriu sua promessam alem das esperanças, levando o grupo aos 4 cantos da planeta, de Paris a Nova York, passando pelo Brasil ou pelo Canada….
E em 2011, depois de 25 anos de quase silencio, foi o lançamento do seu novo álbum, Cotonou Club, do nome do programa que Elodie tinha gravado com o Todo Poderoso em 2007. Com regravações de antigos hits e novas composições, o álbum perpetua a receita magica do grupo com seu groove funk, soul e afro-beat… O disco conta também com a participação da grande Diva do continente africano, a beninesa Angélique Kidjo, e da jovem esperança da World Music, a cantora maliense Fatoumata Diawara.

Mais informações sobre o Tout Puissant Orchestre de Cotonou: http://www.polyrythmo.com/
E sobre os shows de domingo 28 de setembro: http://www.culturaindependente.org/noticias/160/

Sessimé, a outra grande voz feminina do Benim

Publicado: 23 de março de 2014 por Stephanie Malherbe em Benim
Tags:, , ,

Considerada como a nova estrela do Afropop-rock do Benim, a jovem Sessimé é a nova embaixadora da cultura beninesa. Com seu album Wazakoua, a cantora que demostra uma grande energia no palco já se apresentou em vários eventos no continente africano (como no festival MASA, semana passada, na Costa do Marfim) e na Europa.
A cantora que já foi premiada como descoberta feminina nos Kora Music Awards e que foi finalista do premio descobertas RFI 2013, esta seguindo os passos do seu modelo, a grande diva da África e fenômeno planetário, Angélique Kidjo…

Sessimé (que significa “Sobre os passos do destino”) explora sua cultura nativa através das percussões, dos ritmos e dos cantos tradicionais (kpézin, tams-tams, gotâ, calebasses, talking-drums… etc) que ela mistura com instrumentos elétricos para construir seu próprio estilo.
Cantando a maioria das suas musicas em linguas tradicionais do Benim, como o fongbé ou o yoruba, a nova rainha do Afropop-rock, verdadeira estrela no seu país, representa com muita energia a cultura do seu belo país.