Arquivo da categoria ‘Mali’

 

O maior festival gratuito do Brasil esta de volta em 2019 com ampla programação cultural.

MIMO de música, MIMO de arte, MIMO de cultura.

O Festival nasceu em 2004, em Olinda, e se tornou um legado cultural que há mais de 15 anos leva música, cinema, educação, ideias e poesia para o público de forma totalmente gratuita.

A programação do evento promove a valorização das cidades históricas, a descentralização do acesso à cultura e a disseminação da música em todas as suas formas e expressões, reunindo shows, festivais de cinema, workshops, palestras e chuvas de poesia, realizados em igrejas, museus, parques e teatros.

O MIMO já passou por diversas cidades brasileiras como Ouro Preto, Tiradentes, João Pessoa, Recife, Paraty e Rio de Janeiro e, em 2016, ganhou sua primeira edição internacional na linda cidade de Amarante, em Portugal.

Grandes nomes da música nacional e internacional como Herbie Hancock, Pat Metheny, Tom Zé, Ron Carter, Rui Veloso, Goran Bregovic, Mário Laginha, Céu, Pedro Burmester, Egberto Gismonti, Richard Bona, Hamilton de Holanda, Vieux Farka Touré, Paulo Flores, Seun Kuti… entre muitos outros, marcaram presença nos palcos do MIMO e, a cada edição, novos artistas participam do festival que já conta com 475 shows realizados até 2018.

Esse ano, o continente africano será mais uma vez muito bem representado,  com shows de Amadou& Mariam (Mali) e de Noura Mint Seymali, representando a Mauritania.

Amadou & Mariam

A dupla musical conhecida previamente como “o casal cego de Mali” superou esse rótulo com seu inovador trabalho musical, que une os ritmos tradicionais africanos ao blues, pop e rock.  Alcançando o patamar de porta-voz da história e cultura do seu povo para o resto do mundo, o duo formado por Amadou Bagayoko, guitarrista que se apresentava ao lado de Salif Keita no grupo Les Ambassadeurs du Motel de Bamako, e Mariam Doumbia, cantora e compositora, desbravou o cenário internacional e propagou o pop-africano no ocidente seguindo a missão de fazer as pessoas felizes com a sua música.

Depois do grande sucesso do disco “Dimanche à Bamako” produzido por Manu Chao, em 2005, Amadou e Mariam continuaram inovando e trazendo novos tons às melodias africanas. Com o lançamento do seu oitavo álbum internacional que recebe o título de “La Confusion”, em 2017, os dois dos mais populares artistas da África retornam com novas músicas, letras potentes e ritmos que remetem diretamente a sua terra natal, chamando atenção do público para o que está acontecendo em seu país, tanto politicamente quanto culturalmente.

A voz doce e suave de Mariam unida à guitarra blueseira de Amadou fizeram a fama da dupla extremamente carismática, representando uma parceria que vem de dentro e fora dos palcos. Os dois se conheceram no Instituto de Bamako para Jovens Cegos e, tendo a música como o grande elo de conexão entre os dois, apaixonaram-se e decidiram seguir juntos na vida e na carreira. Com sua força musical, conquistaram ao longo dos anos três indicações ao “Victoires de la Musique” e uma ao “Grammy Award para Best World Music Album”. Com poucas vindas ao Brasil ao longo da carreira, retornam em 2019 para apresentações exclusivas no MIMO Festival.

Apresentações em São Paulo:

  • Fórum de ideias Música e nação: o pop-africano no ocidente, SESC, espaço de tecnologias e artes, 22/11/2019, 16h30
  • Show na Praça das Artes, 23/11/2019,23h00

Apresentações no Rio de Janeiro

  • Fórum de ideias Música e nação: o pop-africano no ocidente, CRAB- Centro SEBRAE de referencia do artesanato, 30/11/2019, 15h00
  • Show na Fundição Progresso, 30/11/2019, 00h30
 

Noura Mint Seymali

Uma das mais corajosas e ousadas artistas da Mauritânia, é um fenômeno da atualidade. Começando sua carreira aos 13 anos, desenvolveu sua técnica vocal e instrumental compondo músicas e criando melodias experimentais que mesclavam os sons do Saara, Magreb e da África Ocidental com influências contemporâneas.

Seguindo um percurso musical ditado pelos costumes Griot e mantendo o compromisso de preservar e transmitir as tradições de seu povo, Noura se especializou com maestria na interpretação do som único do ardine: um instrumento de 9 cordas semelhante à harpa e exclusivo para mulheres. Seu álbum de estreia “Tzenni” alcançou o 1º lugar no “World Music Charts Europe”, em 2014 e, no ano seguinte, conquistou o prêmio da União Africana na categoria “Melhor Artista Feminina do Norte da África”, recebendo reconhecimento internacional e elevando a importância da participação feminina na indústria da música.

Acompanhada por seu marido Jeich Chighaly, na guitarra, por Ousmane Touré, no baixo e por Matthew Tinari, nos tambores, Noura vem pela primeira vez ao Brasil para se apresentar no MIMO após um show de grande sucesso no Festival em Amarante, na edição de 2018.

Apresentações em São Paulo:

  • Fórum de ideias e vozes femininas na tradição griot africana, SESC São Paulo, Espaço de tecnologias e artes, 22/11/2019, 11h00
  • Show na Praça da Artes, 23/11/2019, 19h00

Apresentações no Rio de Janeiro:

  • Fórum de ideias e vozes femininas na tradição griot africana, Centro SEBRAE de referencia do artesanato, 30/11/2019
  • Show na fundição Progresso, 30/11/2019, 19h

Ali Farka Touré reeditado!

Publicado: 28 de agosto de 2019 por stephanie100africa em # África, Mali
Tags:, , , ,

Image result for ali farka touré savane

World Circuit reedita Savana, do lendario Ali Farka Touré!

Disponível em vinil duplo pela primeira vez, a versão remasterizada de ‘Savane’ será lançada no dia 6 de setembro. Preorder on LP & digital no link: http://worldcircuit.lnk.to/SavaneReissue

Pode assistir aqui a um trecho do show de Savane, ao vivo no BOZAR, Bruxelas, em janeiro de 2005. O show, que na época foi seu primeiro show europeu, o primeiro de mais de cinco anos, foi uma das últimas apresentações da carreira de Ali Farka Touré. Na ocasião, Ali Farka Touré é acompanhado pelos mestres ngoni Bassekou Kouyate e Mama Sissoko. Uma perola!

Para esperar a versão remasterizada, podem ouvir aqui o full álbum:

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, criança, céu e atividades ao ar livre

Depois de ter revelado as musicas Taqkal Tahra e Zawal, o grupo tuaregue lança Kel Tinawen, seu novo clipe, em dupla com Cass McCombs, pura poesia! O grupo esta assim anunciando o lançamento do seu novo álbum, Amadjar, previsto em setembro…

O álbum conta com varias participações como Warren Ellis, Stephen O’Malley ou Micah Nelson.

Résultats de recherche d'images pour « Fatoumata Diawara Bonya »

A diva malinesa Fatoumata Diawara lança um novo clipe extraído do seu secundo álbum Fenfo (Tenho alguma coisa para dizer) lançado em maio passado.

O clipe ilustra a musica Bonya (Respeito) onde ela expressa que o valor mais importante que devemos defender é o respeito.

Atriz e cantora, Fatoumata Diawara canta em Bambara e incarna o combate pela emancipação das mulheres, contra a escravidão e por um continente africano carregado de esperança.

Em março desse ano, Fatoumata ja tinha anunciado o lançamento do álbum Fenfo com a divulgação do sublime clipe Nterini (Meu amor, meu confidente), que fala sobre a dor da separação ressentida pelos migrantes.

 

Koko Dembélé: reggae made in Mali

Publicado: 26 de julho de 2018 por stephanie100africa em # África, Mali
Tags:, , ,

 

Pilar do reggae malinense ha 25 anos, Koko Dembélé lançou em 2017 Tiéba, seu quinto álbum, com a ajuda da Fundação Passerelle, montada em Bamako pela cantora Rokia Traoré. Com esse novo álbum, Koko alcança uma dimensão internacional bem merecida.

Nascido em 1954 numa familia de griôs, Koko Dembélé é originário de Mopti, no Mali. Criança bobo, ele foi  banhado nas culturas Peul, Dogon e Bozo. Com apenas 7 anos, ele se inicia a percussão e viaja a descoberta das diversas tradições orais do seu país. Em 1976, o jovem Koko Dembélé integra o prestigioso orquestra Dogon “Kanaga de Mopti” do grande Sorry Bamba, o mestre de musica de Amadou Hampaté Bâ. O que incita Koko a dizer que ele é aluno do celebro defensor da tradição oral africana e autor de Amkoullel.

Koko deixa o Kanaga em 1986 e se instala em Abidjan, a cidade onde tem que estar na década de 80. Là, ele conhece o arranjador Boncana Maïga. Dessa colaboração saíra o álbum Baguiné(1992), com a faixa Amagni, que terá imenso sucesso no continente africano e no Brasil, onde ganhará uma versão gravada por Olodum.

Ele gravará mais dois álbuns, em 1998 e 2003, e um em 2005, em Bamako (Mali), com o apoio de Tiken Jah Fakoly, que empresta estúdio e músicos durante uma noite.

Cantando em bambara, dogon, bozo, songhaï ou mais raramente em francês, Koko defende a dignidade e a honestidade, e inspira as jovens gerações, pelo seu talento e pelas suas reflexões.

 

Arat Kilo+Mamani kilo+Mike Ladd = GROOVE!

Publicado: 20 de junho de 2018 por stephanie100africa em # África, Etiopia, Mali
Tags:,

O grupo parisiense de Etio jazz Arat Kilo lança novo álbum, Visions of Selam, onde ele cruza com a diva malinesa Mamani Kilo e o spoken word do americano Mike Ladd.

 

 

Trio Da Kali & Kronos Quartet lançam o álbum Ladilikan (World Circuit Records), o magnifico encontro entre uns dos melhores griôs da musica tradicional do Mali e o quatuor de cordas mais revolucionário da musica ocidental. Um álbum encantador onde as cordas ocidentais encontram o balafon, o ngoni e a poderosa voz de Hawa ‘Kassé Mady’ Diabaté para criar um som transcendental.

Se os 3 membros do Trio Da Kali tem uma herança musical familial muito respeitada e formam um “super grupo” de griôs, eles revisitam a musica mandinga com criatividade e transcendam sua tradição com audácia.

A poderosa voz da divina Hawa Diabaté se mistura ao vibrato delicado do n´goni do jovem Mamadou Kouyaté e ao som do Mamadou Kouyaté, verdadeiro virtuoso do balafom. E os quatro músicos do Kronos Quartet, que vem revolucionar a musica ocidental clássica desde 1973, vem sublimar esse trio.

E o resultado é realmente encantador, o som nos eleva em outra dimensão, uma viagem atemporal entre força e elegância.