Posts com Tag ‘Angélique Kidjo’

Benin

Um programa Conexão África dedicado ao Benim,:

photo Mario Epanya

credito: Mario Epanya

Um programa homenageando as mulheres do continente africano, sua força e sua beleza com uma programação musical exclusivamente feminina (Angélique kidjo, Myriam Makeba, Césaria Evora, bella Bellow, oumou Sangaré, Gigi Shibabaw, etc…):

Angelique Kidjo Eve

A cantora beninense Angélique Kidjo, que acabou de lançar sua biografia, Spirit Rising: My life my music, começa também o ano 2014 com o lançamento do seu 13e álbum, Eve, do nome da sua mãe, um disco dedicado a ela justamente, mas também a suas avós, tias, e a todas as mulheres africanas.
Embaixadora da Unicef desde 2002, é durante uma visita no Kenya para a Organização que surgiu a ideia do disco. Num dos povoados visitados, onde um programa-piloto da Unicef já implantado, Angélique foi recebida por mulheres que cantavam uma canção tradicional de saudação. Ela começou a cantar junto. Seu marido e cumplice de trabalho, Jean Hébrail, captou o momento na câmera do iPhone, e as vozes das mulheres tornaram-se o núcleo da versão criada por Angélique da canção, “M’Baamba”, primeira faixa de “Eve”. Ela foi depois pro Benim aonde gravou vozes de coros tradicionais de mulheres, que se encontram também no novo CD.



Angélique Kidjo é uma das artistas africanas contemporâneas mais importantes do palco mundial.
Originaria do Benim, um pais da Africa ocidental, Angélique Kidjo cresceu num ambiente muito criativo, no meio dos seus oito irmãos. Sua mãe tinha uma companhia de teatro e Angélique começou a cantar com apenas 6 anos, numa peça sobre o rei Acaba.
Em 1983, Angélique Kidjo fuja do Benim, pegando um voo noturno para Paris, aonde se radicou. Vencedora de um Grammy Awards em 2008 com seu álbum Djin Djin, Angélique encontra seu estilo nas raízes da tradição africana, que ela acrescenta com ritmos ocidentais. O resultado é um estilo único, moderna, encantador, transcultural.
Artista engajada, Angélique se dedicou durante 7 anos a um trabalho de memoria ao encontro dos afrodescendentes nos Estados Unidos, Brasil e nos Caribes. Uma trilogia que conta a historia da escravidão e a levou a fazer lindas parcerias, como o encontro com Gilberto Gil ou Carlinhos Brown por exemplo.
Embaixadora de boa vontade da Unicef, Angélique criou tambem a fundação, BATONGA que incentiva moças africanas a participar do desenvolvimento do continente africano.
Além do seu talento, o que caracteriza essa grande artista é sua consciência, sua profunda gentileza e seu carisma excepcional.
Um show da Angélique Kidjo é uma experiência inesquecível, que sempre acaba com o publico dançando no palco com a estrela.


Cesaria Evora (Cabo Verde) e Ismaël Lô (Senegal), Fatoumata Diawara (Mali) e FM Laeti (Guadaloupe), Angélique Kidjo (Benin) e Gilberto Gil, Ali Farka Touré (Mali) e Toumani Diabaté (Mali), Baloji e Monique Tenday (RDC), etc… Um programa dedicado aos encontros musicais:
encontros musicais

Depois de mais de um mês sem retransmissão das gravações no blog, por causa de dificuldades técnicas, o programa Conexão África, transmitido pela radio Kaxínawa, 100.1 FM, volta no blog. Apresentado por Stéphanie com a cumplicidade do Carlos Alexandre, este programa conta com uma seleção musical pan-africana com um ponto em comum: falar de amor: Angélique Kidjo (Benim) e Amadou e Mariam (Mali), Salif Keïta (Mali) e Cesaria Evora(Cabo-Verde), Lokua Kanza (Congo), Daouda (Costa do Marfim), Paulo Flores (Angola), Alemaheyu Eshete (Etiópia), Baloji (Congo), Francis Bebey (Camarões)… Boa viagem musical!!!parlezmoidamour150812


Esse programa é dedicado a grande diva originaria do Benim, Angélique Kidjo, geralmente considerada como uma embaixadora do continente africano.
Conexão África volta sobre a carreira excepcional da cantora, seus primeiros passos, com apenas 6 anos, seus engajamentos, etc… Com muitas musicas e também alguns trechos de uma entrevista que Angélique concedeu a Stéphanie em 2009: Angelique Kidjo270612