Posts com Tag ‘blues do mali’

Boubacar Traoré Dounia Tabolo.jpg

Para seu novo álbum Dounia Tabolo, o Mestre Boubacar Traoré, o Kar-Kar, quis convidar músicos do sul dos Estados Unidos encontrados durante suas turnês, Cédric Watson no violino e no wasboard, Corey Harris no violão e a violoncelista e cantora Leyla McCalla. Entre blues e folk, musicas cajun e zydeco, seus novos parceiros trazem seu swing e a profundidade do blues no repertorio de musicas antigas e novas do Boubacar.

Mais que nunca, Boubacar Traoré se afirma como o link vivo que liga o Mali e o Mississipi.

Guitarrista ao estilo inimitável, cantor com uma voz carregada de emoções e compositor com melodias melancólicas inspiradas da vida quotidiana, do amor, feliz ou infeliz… O malinês nascido em Kayes em 1942 continua fascinando pela sua profundidade e sua simplicidade. Símbolo do Mali recentemente  independente, quando ele chamava, na radio, seus conterrâneos a reconstruir o pais, ele sumiu das ondas no final dos anos 70 antes da sua ressurreição num programa de televisão em 1987

Antes de descobrir esse novo álbum, vamos reescutar Hona, do excelente álbum M’Balimaou:

Ali Farka Touré

Um programa especial dedicado ao grande artista, agricultor, enraizado na sua querida terra do Mali, especialmente sua querida cidade de Niafunké, na beira do rio Niger, Ali Farka Touré, que certos chamam de bluesman africano, mas ele respondia: “Eu tenho as raízes e o tronco, eles apenas tem os ramos e as folhas”…. :

Kar Kar nos emociona de novo!

Publicado: 6 de fevereiro de 2015 por stephanie100africa em Mali
Tags:, , , ,

Boubacar-Traore-ip
Boubacar Traoré, o bluesman malinês, esta de volta com um novo álbum, Mbalimaou, corealizado com seu compatriota Ballaké Sissoko, grande virtuoso da Kora. Nesse novo disco, Boubacar Traoré revisita o titulo Mariama, um dos seus grandes sucessos nos anos 60, que ele “moderniza” acrescentando ao som da sua guitarra outros instrumentos como a kora ou a kalebasse.
A canção, canto antigo da região de Kayes, sua região de nascimento, era na origem a canção de um passarinho que avisa a linda e amada Mariama da morte da sua mãe.
Nascido em 1942 em Kayes, no Mali ocidental, numa família nobre, Boubacar Traoré se destinava a uma brilhante carreira no futebol, mas um acidente deu um ponto final a essa expectativa no fim dos anos 50. Dessa primeira fase da sua vida sobrou seu apelido: Kar Kar.
No inicio dos anos 60, Kar Kar se torna uma grande voz da independência, com musicas como Mali Twist, Mariama, Djarabi, etc… Os malineses acordavam todo dia ao som da sua voz melancólica que cantava na radio a independência recém-conquistada do Mali. Boubacar Traoré canta a independência, elogia sua nação e seu presidente, Modibo Keïta, e chama os malineses a voltar pro Mali para construir a nova nação. Quando, em 1968, Modibo Keïta é retirado do poder, Boubacar Traoré para de tocar na radio e volta para Kayes aonde trabalha para sustentar seus filhos.
Todos achavam que o Kar Kar estava morto quando, surpresa, em 1987, Boubacar Traoré passa na TV malinesa e é a ressurreição: Kar Kar renasce para o publico! Ele grava então um cassete, Mariama, que um produtor inglês descobre e resolve produzir. E o primeiro álbum do Boubacar Traoré, o inicio de um sucesso internacional que perdura até hoje, entre discos e turnês na Europa, na África e na América do norte. Infelizmente essa alegria é acompanhada da perca da sua mulher amada, Pierrette, uma perca que ele canta em todos seus discos.
Porque Boubacar Traoré é isso, é a melancolia inspirada do dia dia, é o canto da tristeza, do amor, das dificuldades da vida etc… O blues do Kar Kar é universal, fora do tempo, inoxidável. Sua musica, de uma beleza infinita, é emocionante, simplesmente.

Nascido em 1942 em Kayes, no Mali ocidental, numa família nobre, Boubacar Traoré se destinava a uma brilhante carreira no futebol, mas um acidente deu um ponto final a essa expetativa no fim dos anos 50. Dessa primeira fase da sua vida sobrou seu apelido: Kar Kar.
No inicio dos anos 60, Kar Kar se torna uma grande voz da independência, com musicas como Mali Twist, Mariam, Djarabi, etc… Os malienses acordavam todo dia ao som da sua voz melancólica que cantava na radio a independência recém-conquistada do Mali. Boubacar Traoré canta a independência, elogia sua nação e seu presidente, Modibo Keïta. Quando, em 1968, Modibo Keïta é retirado do poder, Boubacar Traoré para de tocar na radio e volta para Kayes aonde trabalha para sustentar seus filhos.
Todos achavam que o Kar Kar estava morto quando, surpresa, em 1987, Boubacar Traoré passa na TV maliense e é a ressurreição: Kar Kar renasce para o publico! Ele grava então um cassete, Mariama, que um produtor inglês descobre e resolve produzir. E o primeiro álbum do Boubacar Traoré, o inicio de um sucesso internacional que perdura até hoje, entre discos e turnês na Europa, na África e na América do norte. Infelizmente essa alegria é acompanhada da perca da sua mulher amada, Pierrette, uma perca que ele canta em todos seus discos.
Porque Boubacar Traoré é isso, é a melancolia inspirada do dia dia, é o canto da tristeza, do amor, das dificuldades da vida etc… O blues do Kar Kar é universal, fora do tempo, inoxidável. Sua musica, de uma beleza infinita, é emocionante, simplesmente.