Posts com Tag ‘conexao africa’

 

O maior festival gratuito do Brasil esta de volta em 2019 com ampla programação cultural.

MIMO de música, MIMO de arte, MIMO de cultura.

O Festival nasceu em 2004, em Olinda, e se tornou um legado cultural que há mais de 15 anos leva música, cinema, educação, ideias e poesia para o público de forma totalmente gratuita.

A programação do evento promove a valorização das cidades históricas, a descentralização do acesso à cultura e a disseminação da música em todas as suas formas e expressões, reunindo shows, festivais de cinema, workshops, palestras e chuvas de poesia, realizados em igrejas, museus, parques e teatros.

O MIMO já passou por diversas cidades brasileiras como Ouro Preto, Tiradentes, João Pessoa, Recife, Paraty e Rio de Janeiro e, em 2016, ganhou sua primeira edição internacional na linda cidade de Amarante, em Portugal.

Grandes nomes da música nacional e internacional como Herbie Hancock, Pat Metheny, Tom Zé, Ron Carter, Rui Veloso, Goran Bregovic, Mário Laginha, Céu, Pedro Burmester, Egberto Gismonti, Richard Bona, Hamilton de Holanda, Vieux Farka Touré, Paulo Flores, Seun Kuti… entre muitos outros, marcaram presença nos palcos do MIMO e, a cada edição, novos artistas participam do festival que já conta com 475 shows realizados até 2018.

Esse ano, o continente africano será mais uma vez muito bem representado,  com shows de Amadou& Mariam (Mali) e de Noura Mint Seymali, representando a Mauritania.

Amadou & Mariam

A dupla musical conhecida previamente como “o casal cego de Mali” superou esse rótulo com seu inovador trabalho musical, que une os ritmos tradicionais africanos ao blues, pop e rock.  Alcançando o patamar de porta-voz da história e cultura do seu povo para o resto do mundo, o duo formado por Amadou Bagayoko, guitarrista que se apresentava ao lado de Salif Keita no grupo Les Ambassadeurs du Motel de Bamako, e Mariam Doumbia, cantora e compositora, desbravou o cenário internacional e propagou o pop-africano no ocidente seguindo a missão de fazer as pessoas felizes com a sua música.

Depois do grande sucesso do disco “Dimanche à Bamako” produzido por Manu Chao, em 2005, Amadou e Mariam continuaram inovando e trazendo novos tons às melodias africanas. Com o lançamento do seu oitavo álbum internacional que recebe o título de “La Confusion”, em 2017, os dois dos mais populares artistas da África retornam com novas músicas, letras potentes e ritmos que remetem diretamente a sua terra natal, chamando atenção do público para o que está acontecendo em seu país, tanto politicamente quanto culturalmente.

A voz doce e suave de Mariam unida à guitarra blueseira de Amadou fizeram a fama da dupla extremamente carismática, representando uma parceria que vem de dentro e fora dos palcos. Os dois se conheceram no Instituto de Bamako para Jovens Cegos e, tendo a música como o grande elo de conexão entre os dois, apaixonaram-se e decidiram seguir juntos na vida e na carreira. Com sua força musical, conquistaram ao longo dos anos três indicações ao “Victoires de la Musique” e uma ao “Grammy Award para Best World Music Album”. Com poucas vindas ao Brasil ao longo da carreira, retornam em 2019 para apresentações exclusivas no MIMO Festival.

Apresentações em São Paulo:

  • Fórum de ideias Música e nação: o pop-africano no ocidente, SESC, espaço de tecnologias e artes, 22/11/2019, 16h30
  • Show na Praça das Artes, 23/11/2019,23h00

Apresentações no Rio de Janeiro

  • Fórum de ideias Música e nação: o pop-africano no ocidente, CRAB- Centro SEBRAE de referencia do artesanato, 30/11/2019, 15h00
  • Show na Fundição Progresso, 30/11/2019, 00h30
 

Noura Mint Seymali

Uma das mais corajosas e ousadas artistas da Mauritânia, é um fenômeno da atualidade. Começando sua carreira aos 13 anos, desenvolveu sua técnica vocal e instrumental compondo músicas e criando melodias experimentais que mesclavam os sons do Saara, Magreb e da África Ocidental com influências contemporâneas.

Seguindo um percurso musical ditado pelos costumes Griot e mantendo o compromisso de preservar e transmitir as tradições de seu povo, Noura se especializou com maestria na interpretação do som único do ardine: um instrumento de 9 cordas semelhante à harpa e exclusivo para mulheres. Seu álbum de estreia “Tzenni” alcançou o 1º lugar no “World Music Charts Europe”, em 2014 e, no ano seguinte, conquistou o prêmio da União Africana na categoria “Melhor Artista Feminina do Norte da África”, recebendo reconhecimento internacional e elevando a importância da participação feminina na indústria da música.

Acompanhada por seu marido Jeich Chighaly, na guitarra, por Ousmane Touré, no baixo e por Matthew Tinari, nos tambores, Noura vem pela primeira vez ao Brasil para se apresentar no MIMO após um show de grande sucesso no Festival em Amarante, na edição de 2018.

Apresentações em São Paulo:

  • Fórum de ideias e vozes femininas na tradição griot africana, SESC São Paulo, Espaço de tecnologias e artes, 22/11/2019, 11h00
  • Show na Praça da Artes, 23/11/2019, 19h00

Apresentações no Rio de Janeiro:

  • Fórum de ideias e vozes femininas na tradição griot africana, Centro SEBRAE de referencia do artesanato, 30/11/2019
  • Show na fundição Progresso, 30/11/2019, 19h

Image result for Thomas Sankara

Na ocasião dos 32 anos do assassinato do líder anti-imperialista pan-africano , Thomas Sankara, Conexão Africa homenageá o herói da revolução no Burkina-Faso, o pais dos Homens integres  com uma seleção musical especial.

Thomas Sankara incomodava os ocidentais com suas posições anti-imperialistas e contra o reembolso da divida.

Seu assassinato ainda não foi resolvido, e que a responsabilidade da França é uma forte suspeita, como sugere a musica a seguir, quem se aproveita do crime…

 

Thomas Sankara continua hoje a ser uma grande referencia do pan-africanismo e da luta contra o imperialismo ocidental na África, ao lado de nomes como Lumumba, Kwame Nkrumah …..

Wanlov The Kubolor lança Red Card

Publicado: 2 de outubro de 2019 por stephanie100africa em # África, Ghana
Tags:, , ,

red card by wanlov the kubolor

Wanlov The Kubolor esta de volta com seu quinto álbum solo, Red card, uma carga virulenta contra a corrupção e a hipocrisia…

O africangipsy, integrante da dupla ganense Fokn Bois, esta de volta com novo álbum solo, Red Card: The Minstrel Cycle.

Cheio de mensagens e de derisão, a capa de Red Card, com as cabeças cortadas dos politicos Nana Akufo-Addo e Jerry Rawlings, ja avisam sobre o teor politico do álbum… Um revolução musico-cultural… Porque esse album, mais que nunca, é uma critica virulente do sistema politico ganense, descrita como corrupta e incapaz. No disco, ele não esquece de falar da xenofobia, da miséria, da religião usada como um negocio…

Com um estilo inclassificável, Wanlov demostra mais uma vez seutalento e seu genio musical !

Image result for Céline Banza

A cantora e atriz congolesa Céline Banza (Republica Democratica do Congo) representará seu pais na edição 2019 do premio Découvertes RFI.

Com 22 anos, ela já participou de vários concursos e festivais em Kinshasa e Brazzaville, como o Voice AFrica Francophne, Jazz Kif ou ainda Africa Music Forum.

Estaremos torcendo para ela!

 

Manu Dibango reeditado!

Publicado: 13 de setembro de 2019 por stephanie100africa em # África, Camarões
Tags:, , , ,

Image result for waka juju manu dibango

Inicialmente lançado em 1982, o álbum Waka Juku, do prolixo Saxofonista camaronês Manu Dibango, vai ganhar nova edição em disco Vinil, com apenas 500 cópias. Misturando influencias jazz, highlife e afrobeat, o disco, composto de 6 faixas, homenagea o juju, musica tradicional Yoruba.

DJ Kampire a conquista do mundo

Publicado: 6 de setembro de 2019 por stephanie100africa em # África, Uganda
Tags:, , , ,

Résultats de recherche d'images pour « DJ Kampire »

A jovem DJ ugandesa, assinada no selo Nyege Nyege, se tornou uma indispensável dos grandes festivais internacionais.

Se Kampire Bahana aka Dj Kampire mora hoje em Kampala, capital de Uganda, ela nasceu no Kenya e cresceu na Zambia antes de ir fazer estudos superiores nos Estados-Unidos. Mas é na efervescente capital ugandesa que DJ Kampire iniciou sua carreira em 2015. Desde então, ela não para de ser convidada em grandes festivais internacionais pelo mundo inteiro, de Shangai a Nova York, passando pela Europa e claro, pelo continente africano. Com seus DJs sets misturando o Soukous congolês aos sons eletros, DJ Kamire esta conquistando o mundo.

Résultats de recherche d'images pour « blick bassy 1958 »

Com seu novo álbum 1958, o camaronês Blick Bassy devolve ao povo camaronês parte da sua historia : a historia do líder independentista Ruben Um Nyobé, assassinado pelo exercito francês em 1958. Uma historia que foi durante muito tempo negada, pior, censurada. Uma historia contada em língua bassa, com muita suavidade e delicadeza.

Estigmatizado pelo colonizador francês que o assassinou, o herói da independência do Camarões, Ruben Um Nyodé, também chamado de Mpodol (aquele que carrega a palavra dos seus, em língua bassa), ainda é considerado como um terrorista por parte da população do Camarões.  Emocionante, o disco 1958 reabilita, com graça e delicadeza,  a figura desse importante herói da independência do Camarões.