Posts com Tag ‘Franco e OK Jazz’

ZAIRE74

Um programa dedicado aos artistas africanos que participaram do lendário Zaïre 74, o grande encontro musical que antecipou o encontro do seculo entre Muhammad Ali e George Foreman em Kinshasa em 1974:

Zaire 74jpg


Falecido no dia 12 de outubro de 1989, Franco continua como o grande mestre da musica congolesa, o pai da musica africana moderna.

Nascido em 1939 em Sona-Bata, pequena cidade do baixo-Congo, na ainda colônia belga que se tornará a Republica Democrática do Congo, de um pai tetela e de uma mãe Kongo, François Luambo Makiadi de Luanzo perde seu pai quando ele tem apenas 10 anos.
Ele começa sua carreira musical tocando harmônica, para ajudar sua mãe a vender salgadinhos na rua, antes de conhecer Dewayon, que será seu mestre de violão.
Com 15 anos, Franco já tinha gravado algumas musicas com o grupo de Dewayon.
E, com apenas 18 anos, em junho de 1956, Luambo monta com seus amigos o orquestra OK Jazz, do nome do dono da boate OK Bar aonde tocava, Oscar Kashama, e jazz como referencia a musica norte americana. Outra versão diz que OK se referencia a Orquestra Kinois…

Muitos artistas de talento passaram pelo OK Jazz, e Franco se tornou tão famoso que animou numerosas noites presidenciais no Zaire de Mobutu. Em 1980, passa a ser chamado Grande Mestre ou também o Magico do violão.
Com sua rumba enérgica, Luamba cantava o amor, a sátira, criticando a sociedade com impertinência, indo até o limite da vulgaridade. Fenômeno musical no ex-Zaire (atual Republica Democrática do Congo) e no continente africano, com 350 sucessos gravados, Luamba era também um homem de negocio com produtora, editora, etc…
Em 1982, Franco se instala na Europa com todos seus músicos e inicia em 1983 uma turnê inesquecível nos Estados-Unidos, seguida por uma turnê na Europa. Nesses shows, Franco e o TP OK demostram uma energia incrível e muito talento no palco, o que confirma a fama internacional do Franco. Em 1984, ao pedido do Mobutu, Franco volta para Kinshasa.
Em 1985, Franco lança seu maior sucesso, Mario, a historia de um gigolô que mora na casa de uma mulher mais velha. O impacto da musica é tão grande que até hoje, no Congo, a palavra para designar um gigolô é Mario:

Em 1987, os sintomas da doença que levará ele começam. Em Kinshasa, as especulações sobre o misterioso mal se multiplicam e muita gente mata Franco antes de ele morrer realmente. Enfraquecido, Franco encontra a energia de gravar um ultimo disco, com Sam Mangwana, que já tinha colaborado com o TP OK Jazz, álbum de adeus aonde ele responde também as pessoas que caluniaram ele. Foi seu ultimo disco: