Posts com Tag ‘musica africa’


Agradecendo mais uma vez minha amiga Stéphanie que esta em Kinshasa e me mandou esse clipe, aprento para vocês o ultimo clipe do rapper congoles Celeo Scram, uma estrela em Kinshasa! Nascido em 1978, Celeo Scram, alias Serge Movili Mazami, vem de uma família modesta e trabalha em paralelo dos seus estudos. Seguindo o movimento musical lançado por Papa Wemba durante os anos 80, Celeo se lança numa carreira artística professional. Em 1997, Celeo integra o grupo Wenge Musica Maison Mère que se produz no continente africano e na França para as pessoas da diáspora. Com seu amigo Roi David, Céléo ganha, com o titulo Alerte Générale, um premio na prestigiosa recompensa dos Kora African Awards.
Depois de ter brigado com Werra Son, Céléo deixa o grupo e se lança numa carreiro solo, criando seu próprio grupo. Em 2008, ele lança seu álbum Nzoto na Nzoto, seguido pelo street album Yes WE Can em 2012.
Diretamente de Kinshasa, descobrem aqui o clipe Yes We Can, do rapper que esta no top dos hits congoleses e africanos, Céléo Scram!!!

Festa Conexão África no Casarão Ameno Reseda
Dia 19 de novembro: Véspera do feriado de comemoração do Dia de Zumbi, do Dia da Consciência Negra, o Casarão Ameno Reseda abre suas portas para uma grande festa Afro.
No programa:
Desfile de turbantes:
Candaces: identidade e beleza apresenta suas “Nerfetites, Candaces e N’zingas”
(estou aguardando o texto e a foto)
Show do mítico guitarrista nigeriano Oghene Kologbo (texto Casarão)Discotecagem Conexão Africa: Uma viagem musical pelo continente africano em diversas épocas. Mbalax, Soukous, Makossa, Afrobeat, Semba, Afrosoul, batuque, hip-hop, etc… Os DJS Conexão Africa, Stéphanie e Marcelo, levaram o público numa aventura auditiva panafricana, entre Angola e Costa do Marfim, Etiópia e Camarões, Nigeria e Mali, Senegal e Angola, Africa do Sul e Ghana… Passando do afrobeat inflamado pelo grande Fela e a mitica música da independência Independance Cha-Cha ou ao hip-hop de Bawuta-Kin, voando entre a Diva dos pés descalços Cesária Évora e a grande voz do Benim Angélique Kidjo… Dos primeiros sucessos da música moderna africana a suas ultimas fusões, vamos homenagear o Zumbi dos Palmares com esses ritmos do outro lado do oceano que receberam tantas influências ocidentais e Brasileiras. A discotecagem será acompanhada por uma produção visual realizada pelo cineasta e artista plástico daniel Zarvos.
Meia Entrada: Estudante, Idoso, aposentado e com 1 kg de alimento não perecível.

Ponto de venda sem taxa de conveniência:
Bilheteria Casarão Ameno Resedá de quinta a terça das 14:00 às 22hrs.

Temos tambem nossa lista amiga, com entrada a 30 reais. Para se inscrever na lista amiga, é só mandar um e-mail com o(s) nome(s) antes de 14h00 no dia 19 para: stephanie@conexaoafrica.com
Para mais informações:

Esse programa é excepcional porque, pela primeira vez, Conexão África faz uma parceria com um jornalista de Kinshasa (Republica Democrática do Congo), e não qualquer um, o Narsix, especialista do rap e das culturas urbanas, um dos apresentadores de radio e TV favoritos dos congoleses. Jornalista, produtor, Narsix esta também lançando um site de venda de musica online: http://www.baziks.net, para incentivar o mercado do Hip Hop na RDC, que encontra dificuldades para se produzir. Mas como nos contou o Narsix, os rappers congoleses são verdadeiros guerreiros, se sacrificando para financiar um disco ou um clip… E podendo contar com alguns irmãos mais experientes, como o Lexxus Legal, leader dos PNB, agora com uma carreira solo, e diretor Artísitico do Racine Alternative.
Um programa, então, preparado entre Rio e Kinshasa, uma parceria entre Narsix e Stéphanie, uma viagem que leva a gente aos inicios do Hip Hop em Kinshasa, a sua “pre-historia” também, Narsix lembrando que o Zaïre de Mobutu acolheu o “combate do século” entre Mohammed Ali e Georges Foreman, mas também um grande festival de musicas negras, com estrelas dos Estados Unidos e do Zaïre, o Soul Power Zaïre 74. Esse festival introduziu essas musicas, que passaram a tocar na única televisão, que tinha acabado de ganhar suas cores, e isso influenciou toda uma geração, essa dupla herança cultural, entre musica norte americana e Rumba congolesa…
Descobrem aqui o rap de Kinshasa, ou pelo menos alguns dos seus grupos:
conexao africa 22 8

Mais informações: http://www.baziks.net
Agradecimento especial para Stéphanie Suffren, que me apresentou Narsix e me deu muitas informações, e que teve um papel fundamental no incentivo da cultura Hip Hop em Kinsaha.


Linda, radiante, talentosa, romântica, a jovem cantora sul-africana, uma das mais premiadas da África do Sul, procura ser feliz através da musica e transmitir mensagens positivas.
Nascida em 1979 em Daveyton, a 30 km de Johannesburg, a cantora de soul-jazz e de afro-pop é um dos nomes mais importantes da nova geração musical sul-africana.
Achei esse clip na sua versão longa no site do meu colega de Kinshasa Narsix: http://www.baziks.net/baziks.html